"Toda arma forjada contra ti não prosperará; toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor e o seu direito que de Mim procede, diz o Senhor." Isaías 54.17

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A ORIGEM DO NATAL

Photobucket

A origem do Natal é belamente apresentada na narrativa bíblica
bem conhecida do Evangelho de Lucas: "Naqueles dias César
Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de
todo o império romano. Este foi o primeiro recenseamento
feito quando Quirino era governador da Síria. E todos iam para
a sua cidade natal, a fim de alistar-se. Assim, José também foi
da cidade de Nazaré da Galileia para a Judeia, para Belém,
cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi.
Ele foi a fim de alistar-se, com Maria, que lhe estava prometida
em casamento e esperava um filho. Enquanto estavam lá,
chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu
primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa
manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.
Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a
noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um
anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu
ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse:
"Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande
alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi,
lhes nasceu o Salvador, que é Cristo o Senhor" (Lucas 2:1-11).

A Origem do Natal – As Tradições e as Controvérsias

Para os cristãos de hoje, a origem do Natal é, e deveria ser,
o nascimento de Jesus Cristo como registrado na Bíblia.
Nada mais, nada menos. No entanto, muito do que vemos
no dia 25 de dezembro a cada ano não tem nada a ver com o
bendito dia em que Jesus nasceu, o qual provavelmente
ocorreu entre julho e outubro cerca de 2.000 anos atrás.
De fato, a maior parte dos costumes e tradições do Natal são
de antes do nascimento de Jesus, e muitos deles são
francamente enganadores em seu significado e origem.
Aqui estão alguns exemplos:



A data 25 de dezembro provavelmente originou com o antigo
"aniversário" do deus-filho, Mithra, uma divindade pagã
religiosa cuja influência se espalhou no Império Romano
durante os primeiros séculos depois de Cristo. Mithra era
relacionado com o deus-sol semita, Shamash, e seu culto se
espalhou por toda a Ásia e Europa, onde era chamado Deus
Sol Invictus mitra. Roma era bem conhecida por absorver as
religiões e rituais pagãs do seu império tão amplo. Como tal,
Roma converteu este legado pagã a uma celebração do deus
Saturno e do renascimento do deus-sol durante o período de
inverno solstício. O feriado de inverno se tornou conhecido
como Saturnália e começava na semana anterior a 25 de
dezembro. O festival tinha as seguintes características:
presentes, festejos, cânticos e proposital devassidão, com os
sacerdotes de Saturno transportando grinaldas verdes em
procissão ao longo de todo o templo romano.

Variações deste feriado pagão floresceram durante os
primeiros séculos depois de Jesus Cristo, mas provavelmente
não foi até 336 D.C. que o Imperador Constantino oficialmente
converteu esta tradição pagã nas festas "Cristãs" natalinas.

A Origem do Natal – O que realmente importa?

A verdadeira origem do Natal é cheia de controvérsias e
transigências. Um rápido estudo irá revelar uma série de raízes
perturbadoras que não fomos capazes de mencionar neste
breve artigo. Em resumo, o Natal que celebramos hoje é
indicativo da disposição do cristianismo de absorver os
costumes e tradições do mundo, e esquecer as suas simples
raízes na realidade histórica de Jesus Cristo. O Natal deve ser
nada mais do que um simples, mas maravilhoso lembrete do
início humilde de Cristo como uma criança humana neste mundo.
Seu nascimento apenas define o cenário para o poder, a glória
e a salvação que seriam revelados em Sua vida, morte e
ressurreição! Quer se trate de 25 de dezembro, de uma data no
final de setembro, ou em qualquer outro dia do ano, devemos
usar toda e qualquer oportunidade para refletir sobre
Jesus Cristo e Sua mensagem de esperança para todos nós.
Fonte: http://www.allaboutjesuschrist.org/portuguese/



sábado, 13 de novembro de 2010

CAVALO TEIMOSO


Uma vez um cavalo caiu num velho poço
abandonado.
O resgate seria muito caro. então,
o fazendeiro ordenou que aterrassem o
poço com o animal lá dentro.
Mas, à medida que as pazadas de terra
caiam no seu dorso, ele se sacudia todo
e a terra ia pra debaixo dele.
Assim aos poucos, ele foi subindo junto
com a terra, até uma altura em que pode
ser retirado de lá com uma certa facilidade.
O dono havia decidido que o cavalo iria
morrer, mas, o animal era determinado
e não concordou com o fazendeiro.
Os que esperam no Senhor
renovarão as suas forças;
subirão com asas como águias;
correrão, e não se cansarão;
andarão, e não se fatigarão.
Isaías 40.31




terça-feira, 9 de novembro de 2010

A LOJA DE DEUS


Entrei e vi um anjo no balcão.
Maravilhado , disse-lhe:
- Santo Anjo do SENHOR, o que vendes ?
- Todos os Dons de DEUS.
- Custa muito ?
- Não, é tudo de graça.
Contemplei a loja e vi jarros com sabedoria, vidros com fé,
Pacotes com esperança, caixinhas com salvação, potes de amor.
Tomei coragem e pedi:
Por favor, Santo Anjo, quero muito amor.
Todo perdão, um vidro de fé e salvação eterna para mim
e minha família também.
Então, o Anjo do SENHOR preparou-me um pequeno embrulho,
Tão pequeno que mal cabia na palma da minha mão.
Maravilhado, mais uma vez disse-lhe:
- É possivel estar tudo aqui ?
O Anjo respondeu-me sorrindo:
Meu querido irmão, na Loja de DEUS não vendemos frutos,
Apenas damos as sementes.
Só depende de você, para que elas possam crescer ou não.
Pastora Ademilde

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A REFORMA PROTESTANTE E A CONTRA REFORMA

Durante a Idade Média, o poder da Igreja era tão grande que sua autoridade era quase inquetionável, mesmo assim já haviam aqueles que ousavam discordar dos seus ensinamentos e da sua prática. Essas pessoas eram consideradas hereges, ou seja, transgressoras da doutrina e dos dogmas católicos, sendo por isso perseguidas pela Igreja.


No século XV, o fortalecimento da burguesia e o interesse dos reis em ampliar seu poder, foram decisivos para fortalecer a crítica à Igreja Católica e provovar sua divisão.
O início de tudo

Em 1517 o papa Leão X decretou a venda de indulgências (documentos que assegurariam o perdão dos pecados de uma pessoa, em troca de uma quantia em dinheiro).

Na Saxônia (atual Alemanha), o monge Martinho Lutero revoltou-se com o decreto do papa e, como resposta, pregou na porta da catedral de Wittenberg um documento com 95 pontos contrários aos ensinamentos e às práticas da Igreja Católica.

Em 1520, Lutero foi declarado herege e excomungado da Igreja, pois recusou-se a voltar atrás na defesa de suas idéias. Apoiado por príncipes alemães, Martinho Lutero continuou difundindo sua doutrina iniciando, assim, a Reforma Protestante.
A doutrina da Reforma


A doutrina luterana tinha três pontos principais:


*Justificação pela fé - a pessoa é salva por meio da fé e nao pelas obras que pratica;

*Sacerdócio universla - todos os crentes podem interpretar os textos sagrados por si mesmos;

*Negação da infalibilidade da Igreja - a única fonte da verdade é a Bíblia, e não a tradição ensinada pela Igreja.
Outros movimentos reformadores

A Reforma Luterana abriu caminho a novos movimentos reformadores, como o calvinismo e o anglicanismo.
O francês João Clavino, defensor da reforma de Lutero, entrou em contato, na Suiça, com outras idéias protestantes, que o ajudaram a formar uma nova doutrina, o calvinismo. Calvino manteve quase todos os princípios luteranos, mas estabeleceu uma diferenciação radical do luteranismo ao criar a idéia de predestinação absoluta.
O movimento reformador na Inglaterra teve origem essencialmente plítica, pois o rei Henrique VIII, da dinastia Tudor, queria divorciar-se de sua esposa Catarina de Aragão (filha dos reis católicos da Espanha), porque ela não conseguia lhe dar filhos homens. O papa não concedeu o divórcio. Diante disso, em 1531, Henrique VIII rompeu com a Igreja de Roma. Três anos depois (1534), o Parlamento inglês aprovou o Ato de Supremacia, que proclamou o rei o único e supremo chefe da Igreja inglesa, a igreja Anglicana. Henrique VIII pode, então, nomear bispos e desapropriar terras da Igreja Católica e distribuí-las entre os nobres ingleses.
A Contra-Reforma

A Contra-Reforma, ou Reforma Católica, surgiu no interior da Igreja Católica com dupla finalidade: conter o avanço do protestantismo e discutir as críticas internas da própria Igreja.

A Igreja tomou medidas para reorganizar sua estrutura interna. Entre 1534 e 1590 as finanças foram reorganizadas, exigiu-se o preenchimento dos cargos da Igreja por padres destacados pela integridade moral e adotou-se uma plítica intolerante com os padres de conduta duvidosa.
Detalhe da obra de François Dubois, do século XVI, A noite de São Bartolomeu.

Entre 1545 e 1563, os cardeais católicos, sob a direção do papa, reuniram-se na cidade de Trento, na Itália, para discutir as reformas.


O Concílio reafirmou a doutrina católica e a organização da Igreja. Negou as mudanças doutrinárias realizadas pelos reformistas, confirmando os sete sacramentos, o culto à Virgem Maria e aos santos. Enfim, confirmou que as fontes da doutrina católica são as tradições e a Bíblia.

O Concílio de Trento acabou reafirmando a divisão da comunidade cristã, iniciando uma acirrada disputa entre católicos e protestantes em busca de adeptos.
A Igreja utilizou vários meios para conter o protestantismo e alcançar novos fiéis, tais como:
- expandir a fé católica além da Europa (evangelização dos povos da América, empreendida pela ordem dos jesuítas);

- reativação do Tribunal do Santo Ofício (ou Inquisição, que agia como guardiã da fé católica, punindo os suspeitos de agir de forma condenável pela Igreja);

- Criação dos ìndices Proibidos - O Index (lista de livros censurados pela Igreja, considerados prejudiciais à fé católica);

- Publicação do catecismo (resumo da doutrina católica).
Esses instrumentos foram eficientes, principalmente nos países da Península Ibérica, onde a Reforma Católica teve o apoio dos reis católicos da Espanha e de Portugal.
A divisão da Europa

Em meados do século XVI, os cristãos europeus estavam divididos em várias igrejas. Dentro de cada país as pessoas eram obrigadas a seguir a religião do rei. Por exemplo, nas regiões da Alemanha onde o luteranismo havia sido adotado, os católicos foram perseguidos. Na Espanha, a Inquisição perseguiu protestantes, judeus, cristãos-novos (filho ou neto de judeus convertido ao cristianismo) e muçulmanos.

Do vasto domínio da Igreja de Roma na Europa, restaram apenas Península Itálica, Espanha, Portugal, Áustria, França, Polônia, sul da Alemanha e Irlanda. Mesmo assim, nesses países, os protestantes tinham muitos adeptos.
Católicos X calvinistas na França


Foi na França que a divisão entre católicos e protestantes se manifestou de forma mais violenta. A divisão mais acirrada opunha os católicos aos calvinistas, chamados na França de huguenotes.

No reinado de Carlos IX as tensões se agravaram. O momento mais grave ocorreu em 24 de agosto de 1572, na chamada Noite de São Bartolomeu, quando cerca de 3 mil huguenotes foram massacrados em Paris a mando da mãe do rei, a católica Catarina de Médicis.
Na França, milhares de pessoas morreram numa onda de guerras religiosas que foi desencadeada por essa noite. O conflito só terminou com a promulgação do Edito de Nantes, em 1598, que concedeu liberdade de culto no país.
Fonte: http://vemfazerhistoria.blogspot.com/

HALLOWEEN

No dia 31 de outubro muitas pessoas irão participar de festas de "halloween", popularmente chamado de "Dia das Bruxas" no Brasil. Mas essa festa aparentemente inocente tem estreita ligação com práticas ocultistas, mesmo que muitos não percebam isso.
Sua origem data de tempos antigos, quando os druidas (magos de origem celta) realizavam cerimônias de adoração ao "deus da morte" ou ao"senhor da morte" em 31 de outubro. Isso acontecia na cerimônia "Samhain" durante o festival de inverno, na qual eram oferecidos sacrifícios humanos. Essa prática ancestral foi sofrendo alterações com o passar do tempo. A Igreja Católica posteriormente tentou cristianizar o "Samhain ", declarando o1º de novembro como o Dia de Todos os Santos e o 2 de novembro com o Dia de Finados, sendo que em ambas as datas os mortos eram lembrados.
Nos Estados Unidos essa festa é muito comum e tem forte apelo comercial, sendo também tema de vários filmes de horror. A imagem de crianças vestidas com fantasias "engraçadinhas" de bruxas, fantasmas e duendes, pedindo por doces e dizendo "gostosuras ou travessuras". Há algum tempo, o Brasil tem se deixado influenciar por muitos aspectos que não fazem parte de sua cultura e tem celebrado essa festa em escolas, clubes e até em shopping centers.
Diante dessa realidade, devemos nos questionar: halloween está relacionado às práticas ocultistas modernas?
Mesmo que hoje em dia halloween seja comemorado de uma maneira inocente por muitos jovens, ele é levado a sério pela maioria das bruxas, membros do movimento neo-pagão e ocultistas em geral. Antes de continuarmos, devemos destacar que a associação histórica e contemporânea do halloween com o ocultismo causaram uma espécie de "efeito híbrido" na maior parte da sociedade, de modo que a comemoração do halloween não é, necessariamente, uma prática totalmente inocente. Ao ler vários relatos sobre o halloween, pode-se ficar impressionado com o grande número de práticas de superstições e de adivinhação envolvidas com ele. Algumas das superstições e todas as práticas estão relacionadas com o ocultismo.
É preocupante o quanto as superstições podem controlar ou dirigir a vida de uma pessoa de maneiras terríveis. Mais ainda, as verdadeiras práticas de adivinhação sempre trazem conseqüências. Na verdade, desde as décadas finais do século dezenove, o halloween tem sido lembrado como um período "para se usar amuletos, lançar maldições e se fazer adivinhações"[1]. Como já dissemos, isso está relacionado aos antigos druidas, pois o "Samhain" marcava o início de ano novo, o que resultou num interesse em adivinhações e previsões sobre o que o próximo ano traria.

No halloween se cria (e ainda á assim em certos lugares) que seguir um ritual em particular pode fazer com que a imagem do seu futuro cônjuge apareça atrás de você: "Muitas crenças surgiram sobre como invocar a imagem do futuro esposo ou esposa de alguém. As garotas criam que caso alguém ficasse diante do espelho, comendo uma maçã, à meia-noite, a imagem de seu futuro esposo apareceria de repente diante dela. Se nenhuma imagem aparecesse, isso significava que a garota ficaria solteirona".[2]
              
No sul dos Estados Unidos há um costume baseado na crença dos druidas de que o desespero de uma vítima de sacrifício humano podia revelar previsões para o futuro. "Punha-se fogo numa tigela com álcool, e atirava-se no fogo ‘oferendas’ tais como figos, cascas de laranja, passas, castanhas e tâmaras envoltas em papel alumínio. A garota que tirasse a melhor das oferendas do meio do fogo iria conhecer seu futuro esposo dentro de um ano".[3]
A preocupação com tais atividades pode ser vista na seguinte declaração do Livro Americano dos Dias (American Book of Days): "Vários meios de adivinhação do futuro eram usados no halloween e os resultados eram aceitos com toda seriedade"[4]. Em outras palavras, quando estamos lidando com tentativas sérias de adivinhar o futuro – seja em relação ao futuro em geral, ao futuro cônjuge, ou sobre a vida e a morte - as conseqüências na vida das pessoas podem ser muito maiores do que simples brincadeiras.
Hoje em dia outras práticas ocultistas estão presentes no halloween. Em New Orleans o "Museu do Vodu apresenta normalmente um ritual de halloween no qual as pessoas podem ver rituais de vodu reais"[5]. Na cidade de Salem, estado de Massachusetts, um festival de halloween acontece de 13 a 31 de outubro incluindo uma mostra de parapsicologia.[6]
Na bruxaria moderna o halloween também é considerado uma noite especial. Um livro conhecido sobre o movimento neo-pagão relata o seguinte sobre esses dias importantes de celebração da bruxaria: "As grandes cerimônias de sabbat são: o ‘Samhain’ (halloween), o Ano-Novo celta (nesses dias acredita-se que os portais entre os mundos estão enfraquecidos, e então ocorrem contatos com os ancestrais), ‘Oimelc’ (1º de fevereiro, festival da purificação de inverno)... ‘Beltane’ (1º de maio, o grande festival da fertilidade)... diferentes linhas da bruxaria... tratam esses festivais de maneiras diversas. Mas quase todas as linhas celebram pelo menos o ‘Semhain’ e o ‘Beltane’"[7]. Algumas bruxas tiram o dia de folga de seu trabalho para comemorarem essa data especial para elas, enquanto outras chegaram a tentar o fechamento das escolas para a comemoração desse grande sabbat.
Muitos grupos satânicos também consideram o halloween uma noite especial, em parte porque ele "tornou-se o único dia do ano em que se acredita que o diabo possa ser invocado para revelar os futuros casamentos, problemas de saúde, morte, colheitas e o que acontecerá no próximo ano"[8]. Na verdade a bruxaria e o satanismo têm certas semelhanças[9]. Mesmo que sejam coisas distintas, e mesmo que se dê legitimidade às declarações do movimento neo-pagão que desdenha o satanismo, devemos lembrar o claro ensino bíblico de que o diabo é a fonte de poder por trás da bruxaria e de todas as formas de ocultismo[10]. A ex-bruxa Doreen Irvine declara: "a bruxaria negra não está distante do satanismo... Praticantes da bruxaria negra têm um grande poder e não devem ser subestimados... Eles podem até exumar covas recentes e oferecer os corpos em sacrifício à Satanás".[11]

Além disso tudo, o costume de pedir balas e doces fantasiados de bruxas, vampiros, fantasmas, etc., que é comum nessa festa, está relacionado com os espíritos dos mortos na tradição pagã e até católica. Por exemplo, para os antigos druidas "os espíritos que se acreditava andarem de casa em casa eram recepcionados com uma mesa farta para um banquete. No final da refeição, os habitantes da cidade fantasiados e com máscaras representando as almas dos mortos iam em procissão até os limites da cidade para guiar os fantasmas para fora".[12] As máscaras e fantasias usadas no halloween podem ser relacionadas também com a tentativa de certas pessoas de se esconderem para não serem vistas participando de cerimônias pagãs ou ,como no xamanismo e em outras formas de animismo, mudar a identidade de quem as usa para que possa se comunicar com o mundo espiritual. As fantasias podem ser usadas também para afugentar espíritos maus.
Depois de fazermos essas considerações sobre o assunto, tendo em vista que o halloween está associado a práticas de bruxaria e ocultismo, devemos analisar qual deve ser nossa atitude em relação a essa festa, que mesmo sendo vista secularmente como um passatempo tem implicações sérias.

Devemos nos perguntar: Que princípios bíblicos devem ser usados para discernir esse assunto?
As Escrituras nos dizem que o homem espiritual julga todas as coisas e que no futuro irá também julgar os anjos. Então somos competentes o suficiente para julgar assuntos triviais agora (1 Coríntios 2,15; 6.3). Se julgarmos todas as coisas e retermos o que é bom, abstendo-nos de toda forma de mal, estaremos cumprindo com nossa obrigação (1 Tessalonicenses 5.21,22). Então vamos examinar esse assunto para chegarmos a uma posição bíblica sobre o halloween.
Se na celebração de halloween existem atividades envolvendo práticas genuinamente ocultistas, as Escrituras são claras em afirmar que devem ser evitadas. Tanto o Antigo como o Novo Testamento fazem referência às práticas de bruxaria, encantamentos, espiritismo, contatos com os mortos, adivinhações e assim por diante – e todas essas coisas estão potencialmente ligadas ao halloween.


"Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus" (Levítico 19.31).
"Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; ... Porque estas nações que hás de possuir ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR, teu Deus, não permitiu tal coisa" (Deuteronômio 18.10,11,14) .
"[Rei Manassés de Judá] queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira" (2 Crônicas 33.6).
Em nenhum lugar na Bíblia vemos essas coisas como sendo aceitáveis diante de Deus. À luz desses versículos, ninguém pode argumentar logicamente que a Bíblia apóia tais práticas.
John Ankerberg e John Weldon
Fonte: http://www.chamada.com.br/

                                            
                                                         

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

FELIZ "DIA DAS CRIANÇAS"!

O Dia das Crianças no Brasil foi "inventado" por um político.
O deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia
em homenagem às crianças na década de 1920.
Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho
teve a idéia de "criar" o dia das crianças.
Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado
como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes,
por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.
Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela
fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para
lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas,
é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo,
pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!
Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança,
para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos
decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram
ressurgir o antigo decreto.
A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data
importante para o setor de brinquedos.

Em outros países
Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas
diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada
em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração
acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças
da China e do Japão comemorarem!

Dia Universal da Criança
Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro,
já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse
dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também
é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças.
Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança
deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento.
Fonte Mensagens e Poemas

terça-feira, 5 de outubro de 2010

O LENHADOR E A RAPOSA

Existiu um Lenhador que acordava as 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro
cortando lenha, e só parava tarde da noite.
Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa,
sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.
Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho.

Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.
Os vizinhos do Lenhador alertavam que a raposa era um bicho,
um animal selvagem; e portando, não era confiável.
Quando ela sentisse fome comeria a criança.

O Lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso
era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.
Os vizinhos insistiam:
- "Lenhador abra os olhos ! A Raposa vai comer seu filho."

- "Quando sentir fome, comerá seu filho ! "

Um dia o Lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado
desses comentários - ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como
sempre e sua boca totalmente ensangüentada ... o Lenhador suou frio
e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa ...
Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta ...

O Lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos.



quarta-feira, 15 de setembro de 2010

SER FELIZ OU TER RAZÃO?


Oito da noite, numa avenida movimentada.
O casal já está atrasado para jantar na casa
de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou
no mapa antes de sair. Ele conduz o carro.
Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua,
à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita.
Discutem. Percebendo que além de atrasados,
poderiam ficar mal-humorados,
ela deixa que ele decida. Ele vira à direita
e percebe, então, que estava errado.
Embora com dificuldade, admite que insistiu
no caminho errado, enquanto faz o retorno.
Ela sorri e diz que não há nenhum problema
se chegarem alguns minutos atrasados.
Mas ele ainda quer saber:
- Se tinhas tanta certeza de que eu
estava indo pelo caminho errado,
devias ter insistido um pouco mais...
E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.
Estávamos à beira de uma discussão,
se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

MORAL DA HISTÓRIA:

Esta pequena história foi contada por uma
empresária, durante uma palestra
sobre simplicidade no mundo do trabalho.
Ela usou a cena para ilustrar quanta energia
nós gastamos apenas para demonstrar
que temos razão, independentemente,
de tê-la ou não.
Desde que ouvi esta história, tenho me
perguntado com mais freqüência:
'Quero ser feliz ou ter razão?'
Outro pensamento parecido, diz o seguinte:
'Nunca se justifique. Os amigos não precisam
e os inimigos não acreditam.


sábado, 4 de setembro de 2010

BATISMO ADONAI

BATIZANDOS:
1.Juscileide de Maurício Ananias
2.Layanna Matar M. L. Costa
3.Letícia da Silva Machado
4.Lisandra Ferreira de Matos
5.Keven Jordan Jesus Souza Matos
6.Oberdan Ferreira de Souza
7.Suzete Matar
BATIZADORES:
Pastores Fabrício e Ademilde
Obreiro Francisco

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A MULHER QUE MATOU O ASSASSINO DO SEU FILHO


Sei que a grande maioria de nós não conseguiria ter a grandeza
e coragem dessa mulher. Mas se começássemos,
com pequenos atos, a diminuir o mal do mundo,
talvez esse se tornasse um lugar melhor para se viver.



"Um menino de quatorze anos matara um garoto inocente
só para fazer bonito entre os membros de sua gangue.
No julgamento, a mãe da vítima ficou em silêncio até o fim,
quando o jovem foi condenado pelo assassinato.
Depois do veredicto, ela levantou, olhou diretamente para ele e disse:
VOU MATÁ-LO.


Então, o jovem foi levado para cumprir a pena de três anos
em uma prisão juvenil. Depois de seis meses, a mãe do garoto
assassinado foi visitar o assassino. Como antes ele vivia nas ruas,
ela foi a única visita que ele teve. Conversaram um pouco e,
antes de ir embora, ela lhe deu algum dinheiro.


Depois disso, ela começou a visitá-lo cada vez com mais
regularidade, levando-lhe comida e alguns presentes.
Quando a pena estava chegando ao fim, ela lhe perguntou
o que ele pretendia fazer quando saísse. Ele não tinha idéia
e ela se ofereceu para lhe arrumar um emprego na empresa
de um amigo. Então perguntou onde ele pretendia morar e,
como ele não tivesse família, ela lhe ofereceu um quarto em sua casa.


Ele morou nesse quarto durante oito meses, comeu a comida
que ela fazia e trabalhou no emprego. Então, numa noite,
ela o chamou à sala para conversar. Ele se sentou à sua frente e,
depois de alguns momentos, ela começou a falar.


Lembra-se de que no tribunal eu disse que ia matá-lo?
É claro que lembro, ele respondeu. Nunca vou me esquecer
daquele momento. E foi o que eu fiz, continuou ela.
Eu não queria que o garoto que matou meu filho continuasse
vivo nesta terra. Queria que ele morresse. Foi por isso que
comecei a visitá-lo e a lhe levar coisas. Foi por isso que eu
consegui o emprego e o trouxe para morar aqui em casa.
Foi assim que eu comecei a modificá-lo.
E aquele outro menino se foi. Então, agora que meu filho se foi
e aquele assassino se foi, quero lhe perguntar se você quer ficar aqui.
“Tenho espaço e gostaria de adotá-lo, se você quiser."


E assim ela se tornou a mãe do assassino do filho,
a mãe que ele nunca tinha tido.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

QUEM É O MAIS FORTE?


Dizem que o ferro é forte,

Mas o fogo derrete o ferro.

Dizem que o fogo é forte,

Mas a água apaga o fogo.

Dizem que a água é forte,

Mas o vento espalha a água.

Dizem que o vento é forte,

Mas a montanha espalha o vento.

Dizem que a montanha é forte,

Mas o homem derruba a montanha.

Dizem que o homem é forte,

Mas a morte derruba o homem.

Dizem que a morte é forte,

Mas Jesus venceu a morte

quinta-feira, 8 de julho de 2010

TRÊS CONSELHOS

Um casal de jovens recém-casados era muito pobre
e vivia de favores num sítio do interior.
Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:
"Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe,
arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar
e dar-te uma vida mais digna e confortável.
Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa,
que você me espere e enquanto eu estiver fora,
seja FIEL a mim, pois eu serei fiel a você. "
Assim sendo, o jovem saiu. Andou muitos dias a pé,
até que encontrou um fazendeiro que estava precisando
de alguém para ajudá-lo em sua fazenda.
O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito.
Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito.
O pacto foi o seguinte:
"Deixe-me trabalhar pelo tempo que eu quiser
e quando eu achar que devo ir,
o senhor me dispensa das minhas obrigações.
EU NÃO QUERO RECEBER O MEU SALÁRIO.
Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora.
“No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".
Tudo combinado.
Aquele jovem trabalhou DURANTE VINTE ANOS, sem férias e sem descanso.
Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:
"Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa."
O patrão então lhe respondeu:
"Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo,
só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem?
Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou LHE DOU TRÊS CONSELHOS
e não lhe dou o dinheiro e você vai embora.
Se eu lhe der o dinheiro eu não lhe dou os conselhos;
se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro.
Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta.
Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe:
"QUERO OS TRÊS CONSELHOS."
O patrão novamente frisou: "Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro."
E o empregado respondeu: "Quero os conselhos."
O patrão então lhe falou:
1. NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA.
Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.
2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL,
pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.
3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR,
pois você pode se arrepender e ser tarde demais.
Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:
"AQUI VOCÊ TEM TRÊS PÃES, estes dois são para você comer
durante a viagem e este terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa.“
O homem então seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa
e da esposa que ele tanto amava.
Após primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho
que o cumprimentou e lhe perguntou: "Pra onde você vai?“
Ele respondeu: "Vou para um lugar muito distante que fica a mais
de vinte dias de caminhada por essa estrada."
O andarilho disse-lhe então: "Rapaz, este caminho é muito longo,
eu conheço um atalho que é dez, e você chega em poucos dias..“
O rapaz contente começou a seguir pelo atalho, quando se lembrou
do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal.
Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.
Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo,
achou pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se.
Pagou a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir.
De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor.
Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito.
Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho.
Voltou, deitou-se e dormiu.
Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou
se ele não havia escutado gritos durante a noite, e ele respondeu que sim.
O hospedeiro perguntou-lhe se não estava curioso a respeito, e ele respondeu que não.
O hospedeiro prosseguiu: “VOCÊ É O PRIMEIRO HÓSPEDE A SAIR DAQUI VIVO,
pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite...
e quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.”
O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.
Depois de muitos dias e noites de caminhada... Já ao entardecer,
viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou
e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa.
Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só.
Andou mais um pouco e viu que ela tinha entre as pernas,
um homem a quem estava acariciando os cabelos.
Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura
e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.
Respirou fundo, apressou os passos, quando se lembrou do terceiro conselho.
Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo
e no dia seguinte tomar uma decisão.
Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele pensou:
"NÃO VOU MATAR MINHA ESPOSA E NEM O SEU AMANTE.
Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta.
“Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre FUI FIEL A ELA".
Dirigiu-se à porta da casa e bateu.
Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço
e o abraça afetuosamente.
Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então, com lágrimas nos olhos lhe diz:
"Eu fui fiel a você e você me traiu..."
Ela espantada lhe responde: "Como?
Eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos!"
Ele então lhe perguntou:
"E aquele homem que  você estava acariciando ontem ao entardecer?"
"AQUELE HOMEM É NOSSO FILHO. Quando você foi embora,
descobri que estava grávida. Hoje ele está com vinte anos de idade.“
Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes
toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café.
Sentaram-se para tomar café e comer junto o último pão.
APÓS A ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO,
COM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO, ele parte o pão e,
ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação!
Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas"
e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade...
Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas
que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará...
Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois...

segunda-feira, 21 de junho de 2010

A FÁBULA DO PORCO ESPINHO

                                                                                     

Durante a Era Glacial, muitos animais morriam por causa do frio.

Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos.
 Assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente,
mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos,
justamente os que ofereciam mais calor.
Por isso, decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados.

Então precisavam fazer uma escolha:
Ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam, assim, a conviver com as pequenas feridas
que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar,
já que o mais importante era o calor do outro.

Dessa forma, puderam sobreviver...

Moral da História

O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas,
mas aquele no qual cada um aprende a conviver com os defeitos do outro,
e admirar suas qualidades.


  

terça-feira, 1 de junho de 2010

DORMIR ENQUANTO OS VENTOS SOPRAM



Alguns anos atrás, um fazendeiro possuía terras ao longo da costa atlântica.
Ele pregou a necessidade constante dos trabalhadores.
A maioria das pessoas não estavam dispostos a trabalhar
em fazendas ao longo do Atlântico.
Temiam as horrorosas tempestades que varriam aquela região,
causando estragos em edifícios e plantações.
Procurando por novos empregados, ele recebeu muitas recusas.
Finalmente, um homem magro de meia-idade,
se aproximou do fazendeiro.
"Você é um bom trabalhador, perguntou o fazendeiro.
"Bem, eu posso dormir enquanto o vento sopra.
Respondeu o homenzinho.
Embora confuso com a resposta, o fazendeiro, desesperado por ajuda,
o contratou. O pequeno homem trabalhou bem ao redor da fazenda,
mantendo-se ocupado do alvorecer até o anoitecer
o fazendeiro estava satisfeito com o trabalho do homem,
Então uma noite, o vento uivou ruidosamente.
O fazendeiro pulou da cama, agarrou um lampião e correu
para o alojamento dos empregados.
Sacudiu o pequeno homem e gritou:
-Ups! Uma tempestade está chegando!
Amarre as coisas antes que sejam arrastadas!
O pequeno homem virou-se na cama e disse firmemente:
"Não, senhor, eu lhe faltou:" Posso dormir quando o vento sopra. "
Enfurecido pela resposta, o fazendeiro estava tentado a despedi-lo imediatamente.
Em vez disso, ele se apressou a sair e preparar o terreno para a tempestade.
Empregado, depois de tratar.
Mas para seu espanto, ele constatou que todas as montanhas
feno tinham sido cobertos com lonas firmemente presas ao chão.
As vacas estavam no celeiro, os frangos nos viveiros,
e todas as portas estavam trancadas.
As janelas estavam bem preso, tudo foi amarrado.
Nada poderia ser arrastado. O fazendeiro então entendeu
o que seu empregado quis dizer, em seguida, retornou para sua cama
para também dormir enquanto o vento soprava.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

DEUS AINDA FALA...

Eram aproximadamente 22:00 horas quando um jovem começou a se dirigir para casa. Sentado no seu carro, ele começou a pedir:
- 'Deus! Se ainda fala com as pessoas, fale comigo. Eu irei ouvi-lo. Farei tudo para obedecê-lo'
Enquanto dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito estranho:
 - 'Pare e compre um galão de leite'.
Ele balançou a cabeça e falou alto:
- 'Deus? É o Senhor?'. Ele não obteve resposta e continuou dirigindo-se para casa.
Porém, novamente, surgiu o pensamento:
 - 'Compre um galão de leite'.
-Muito bem, Deus! No caso de ser o Senhor, eu comprarei o leite'.
Isso não parece ser um teste de obediência muito difícil...
Ele poderia também usar o leite. O jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa.
 Quando ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido:
- 'Vire naquela rua'.
Isso é loucura... – pensou - e, passou direto pelo retorno.
Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima rua.
No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua. Meio brincalhão ele falou alto:
 - 'Muito bem, Deus. Eu farei'. Ele passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar. Ele brecou e olhou em volta. Era uma área mista de comércio e residência.
Não era a melhor área, mas também não era a pior da vizinhança.
Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das casas estava escura,
como se as pessoas já tivessem ido dormir, exceto uma do outro lado que estava acesa.
Novamente, ele sentiu algo: - 'Vá e dê o leite para as pessoas que estão naquela casa
do outro lado da rua'. O jovem olhou a casa.
Ele começou a abrir a porta do carro, mas voltou a sentar-se.
-' Senhor, isso é loucura. Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?'.
Mais uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite. Finalmente, ele abriu a porta...
- ' Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei o leite àquelas pessoas.
Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa louca, muito bem.
Eu quero ser obediente. Acho que isso vai contar para alguma coisa,
contudo, se eles não responderem imediatamente, eu vou embora daqui'.
Ele atravessou a rua e tocou a campainha.
Ele pôde ouvir um barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma criança.
A voz de um homem soou alto:
- 'Quem está aí? O que você quer?' A porta abriu-se antes que o jovem pudesse fugir.
Em pé, estava um homem vestido de jeans e camiseta.
Ele tinha um olhar estranho e não parecia feliz em ver um desconhecido em pé na sua soleira.
- 'O que é?'. O jovem entregou-lhe o galão de leite.
- 'Comprei isto para vocês'. O homem pegou o leite e correu para dentro falando alto.
Depois, uma mulher passou pelo corredor carregando o leite e foi para a cozinha.
O homem a seguia segurando nos braços uma criança que chorava.
Lágrimas corriam pela face do homem e, ele começou a falar, meio soluçando:
- 'Nós oramos. Tínhamos muitas contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado.
Não tínhamos mais leite para o nosso bebê. Apenas orei e pedi a Deus que me mostrasse uma maneira de conseguir leite. Sua esposa gritou lá da cozinha:
- 'Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco de leite... Você é um anjo?'
O jovem pegou a sua carteira e tirou todo dinheiro que havia nela e colocou-o na mão do homem.
Ele voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua face.
Ele teve certeza que Deus ainda responde aos verdadeiros pedidos.