"Toda arma forjada contra ti não prosperará; toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor e o seu direito que de Mim procede, diz o Senhor." Isaías 54.17

terça-feira, 4 de outubro de 2011

ORIGEM DO DIA DAS CRIANÇAS



O Dia das Crianças no Brasil  foi "inventado" por um político. O deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia em homenagem às crianças na década de 1920.
Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de "criar" o dia das crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.
Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção  conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo, pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!
Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança, para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto.
A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.
Em outros países
Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China e do Japão comemorarem!
Dia Universal da Criança
Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças. Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento. 

FonteMensagens e Poemas

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

HISTÓRIA DE UM SOLDADO



                                                                 25 DE AGOSTO


Um soldado que após a guerra no Vietnã, voltando para casa...

Ele ligou para seus pais, em São Francisco, e lhes disse:


(Filho) - Mãe, Pai, eu estou voltando para casa, mas, eu tenho um favor a lhes pedir.


(Pais) - Claro meu filho (emocionados), peça o que quiser!


(Filho) - Eu tenho um amigo que eu gostaria de trazer comigo.


(Pais) - Claro meu filho, nos adoraríamos conhecê-lo!!!!


(Filho) - Entretanto, há algo que vocês precisam saber, ele fora terrivelmente ferido na última batalha, sendo que ele pisou em uma mina e perdeu um braço e uma perna. O pior é que ele não tem nenhum lugar para onde ir e, por isso, eu quero que ele venha morar conosco.


(Pais) - Eu sinto muito em ouvir isso filho, nós talvez possamos ajudá-lo a encontrar um lugar onde ele possa morar e viver tranqüilamente! (assustados).


(Filho) - Não, mamãe e papai, eu quero que ele venha morar conosco! (emocionado e muito nervoso)


(Pais) - Filho, disse o pai, você não sabe o que está nos pedindo. Alguém com tanta dificuldade, seria um grande fardo para nós.
Nós temos nossas próprias vidas e não podemos deixar que uma coisa como esta interfira em nosso modo de viver. Acho que você deveria voltar para casa e esquecer este rapaz. Ele encontrará uma maneira de viver por si mesmo (constrangidos)


Neste momento, o filho bateu o telefone. Os pais não ouviram mais nenhuma palavra dele. Alguns dias depois, no entanto, eles receberam um telefonema da polícia de São Francisco. O filho deles havia morrido depois de ter caído de um prédio. A polícia acreditava em suicídio. Os pais angustiados voaram para São Francisco e foram levados para o necrotério a fim de identificar o corpo do filho. Eles o reconheceram, mas, para o seu horror, descobriram algo que desconheciam: O filho deles tinha apenas um braço e uma perna.


Os pais, nesta história são como muitos de nós. Achamos fácil amar aqueles que são bonitos ou divertidos, mas, não gostamos das pessoas que nos incomodam ou nos fazem sentir desconfortáveis.


De preferência, ficamos longe destas e de outras que não são saudáveis, bonitas ou "espertas" como "nós acreditamos que somos". Dou Graças a DEUS por nos enviar Seu Filho Jesus Cristo que não nos trata desta maneira. Alguém que nos ama com um amor incondicional, que nos acolhe dentro de uma só família. Esta noite, antes de nos recolhermos, façamos uma pequena oração para que DEUS nos dê a força que precisamos para aceitar as pessoas como elas são, e ajudar a todos, a compreender aqueles que são diferentes de nós.
Há um milagre chamado AMIZADE, que mora em nosso coração. Você não sabe como ele acontece ou quando surge. Mas, você sabe que este sentimento especial aflora e você percebe que a AMIZADE é o presente mais precioso de Deus.
Amigos são como jóias
raras. Eles fazem você sorrir e lhe encorajam para o sucesso . Eles nos emprestam um ouvido, compartilham uma palavra de incentivo e estão sempre com o coração aberto para nós. Mostre aos seus amigos o quanto você se importa e é grato a eles...

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

AMOR DE PAI

Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao pai: Pai, dê-me a parte da herança que será minha. Assim, ele repartiu sua propriedade entre eles. Quando pôde, o filho mais novo vendeu sua parte da herança, saiu de casa e foi para um país distante, onde desperdiçou seu dinheiro com estilo de vida imprudente. Mas, depois de ter gastado todo o dinheiro, uma fome severa aconteceu naquele país, e ele começou a passar necessidade.
Por isso, foi se empregar com um dos cidadãos daquele país, que o mandou a seus campos para alimentar porcos. Ele desejava encher o estômago com as vagens de alfarrobeira que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada.
Caindo em si, disse: "Qualquer um dos trabalhadores contratados por meu pai tem comida de sobra; e estou aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra você. Não sou mais digno de ser chamado seu filho: trate-me como um dos seus empregados. A seguir, levantou-se e partiu ao encontro do pai.
Estando ainda longe, seu pai o viu e se encheu de compaixão. Correu até seu filho, abraçou-o e o beijou. O filho lhe disse: Pai pequei contra o céu e contra você. Não sou mais digno de ser chamado seu filho. Mas o pai disse aos escravos: Depressa! Tragam uma roupa, a melhor, e vistam nele. Coloque um anel em seu dedo e sapatos nos pés; tragam o novilho gordo e o matem; comamos e celebremos! Porque este meu filho estava morto e voltou à vida, estava perdido, mas foi encontrado! E começaram a festejar.
O filho mais velho estava no campo. Quando se aproximou da casa, ouviu a música e a dança. Então chamou um dos servos e perguntou: O que está acontecendo?. O servo disse: Seu irmão voltou, e seu pai matou o novilho gordo, porque o recebeu de volta são e salvo. Mas o filho mais velho se encheu de ira e se recusou a entrar.
Então o pai saiu e insistiu com ele. Mas ele respondeu: Olhe! Tenho trabalhado para você todos esses anos e nunca desobedeci às suas ordens. Mas você nunca me deu nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos. Entretanto, esse seu filho que esbanjou sua propriedade com prostitutas volta, e você mata o novilho gordo para ele! Filho, você sempre está comigo, disse o pai, e tudo o que tenho é seu. Precisávamos celebrar e nos alegrar, porque seu irmão estava morto e voltou à vida, estava perdido, e foi achado".

Evangelho de São Lucas
Capítulo 15.11-31
Bíblia Judaica Completa

segunda-feira, 18 de julho de 2011

EXAMINA-SE A SI MESMO

Um senhor telefona ao médico para marcar uma consulta para a sua mulher.
A secretária pergunta:
- Qual o problema de sua esposa?
- Surdez. Não ouve quase nada.
- Então o senhor vai fazer o seguinte: antes de trazê-la, faz um teste para facilitar o diagnóstico do médico.
Sem ela olhar, o senhor, a certa distância, fala em tom normal, até perceba a que distância ela consegue ouví-lo.
E quando vier, diz ao médico a que distância o Senhor estava quando ela o ouviu.
- Certo?
- Está certo.
À noite, quando a mulher preparava o jantar, o velhote decidiu fazer o teste.
Mediu a distância que estava em relação à mulher.
E pensou:
"Estou a 15 metros de distância. Vai ser agora"
- Maria, o que temos para jantar?
Silêncio. Aproxima-se a 10 metros:
- Maria, o que temos para jantar?
Silêncio.
Fica a uma distância de 5 metros:
- Maria, o que temos para jantar?
Silêncio.
Por fim, encosta-se às costas da mulher e volta a perguntar:
- Maria! O que temos para jantar?
- Frango, meu abençoado... É a quarta vez que eu respondo!

NORMALMENTE, NA VIDA, PENSAMOS QUE AS DEFICIÊNCIAS SÃO DOS OUTROS E NÃO NOSSAS.
"É fácil julgar, difícil é aceitar os nossos erros."

quarta-feira, 25 de maio de 2011

UMA HISTÓRIA DE AMOR AO PRÓXIMO


Renato quase não viu a senhora, com o carro parado no acostamento. Chovia forte e já era noite. Mas percebeu que ela precisava de ajuda, assim parou e se aproximou. O carro dela cheirava a tinta, de tão novinho. A senhora pensou que pudesse ser um bandido? Ele não parecia seguro, parecia pobre e faminto. Renato percebeu que ela estava com muito medo e disse: “Eu estou aqui para ajudar senhora, não se preocupe. Por que não espera no carro onde está quentinho? A propósito, meu nome é Renato”

Bem, tudo que ela tinha era um pneu furado, mas para uma senhora de idade avançada era ruim o bastante. Renato abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo ele já estava trocando o pneu. Mas ficou um tanto sujo e ainda feriu uma das mãos. Enquanto apertava as porcas da roda ela abriu a janela e começou a conversar com ele. Contou que era de São Paulo e que só estava de passagem por ali e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda. Renato apenas sorriu enquanto se levantava ela perguntou quanto devia. Já tinha imaginado todas as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Renato não tivesse parado e ajudado. Renato não pensava em dinheiro, gostava de ajudar as pessoas, este era seu modo de viver. E respondeu: “Se realmente quiser me pagar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda de que ela precisar e lembre-se de mim”.

Alguns quilômetros depois a senhora em um pequeno restaurante simples, a garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso, a senhora notou que a garçonete estava com quase oito meses de gravidez, mas ela não deixou a tensão e as dores mudarem a sua atitude. A senhora ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco, podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Renato. Depois que terminou a sua refeição, e enquanto a garçonete buscava troco, a senhora se retirou. Quando a garçonete voltou queria saber onde a senhora poderia ter ido quando notou algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha quatro notas de R$ 100,00. Correram lágrimas em seus olhos quando leu o que a senhora escreveu. Dizia:

- Você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou hoje e da mesma forma estou lhe ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar por este dinheiro, não deixe este círculo de amor terminar com você, ajude alguém…
Aquela noite, quando foi para casa cansada e deitou-se na cama, seu marido já estava dormindo e ela ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixou escrito. Como pôde aquela senhora saber o quanto ela e o marido precisavam disto? Com o bebê que estava para nascer no próximo mês, como estava difícil. Ficou pensando na bênção que havia recebido, deu um grande sorriso, agradeceu a Deus e virou-se para o preocupado marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo macio e sussurrou:
-Tudo ficará bem; eu te amo… Renato!

terça-feira, 26 de abril de 2011

MÃE DO CORAÇÃO




Foi em dezembro de 1944 que tudo começou. Caminhões chegaram no campo de concentração de Bergen-Belsen e despejaram 54 crianças. A mais velha tinha 14 anos e havia muitos bebês.
No alojamento das mulheres, Luba Gercak dormia. Acordou sua vizinha de beliche e lhe perguntou: "está escutando?" É choro de criança."
A outra lhe disse que voltasse a dormir. Ela devia estar sonhando. Todos conheciam a história de Luba. Ainda adolescente se casara com um marceneiro e tiveram um filho, Isaac.
Quando veio a guerra, os nazistas lhe arrancaram dos braços o filho de três anos e o jogaram em um caminhão, junto com outras crianças e velhos. Todos inúteis para o trabalho e, portanto, com destino certo: a câmara de gás.
Logo mais, ela pôde ver um outro caminhão arrastando o corpo, sem vida, do marido.
No primeiro momento, desistira de viver. Depois a fé lhe visitou a alma e ela percebeu que Deus esperava muito mais dela. Então, passou a ser voluntária nas enfermarias.
Agora, Luba ouvia choro de crianças. Quem seriam?
Abriu a porta do alojamento e viu meninos, meninas, bebês apinhados, em choro, no meio do campo. Separados de seus pais, se encontravam desnorteados e tinham fome e frio.
Luba as trouxe para dentro. E porque protestassem as demais ocupantes do infecto alojamento, ela as repreendeu, dizendo: "vocês não são mães? Se fossem seus filhos, diriam para que eu os deixasse morrer de frio? Eles são filhos de alguém."
Em verdade, o que suas companheiras temiam era a fúria dos soldados da SS.
Luba agradeceu a Deus por ter lhe enviado aquelas crianças. O seu filho morrera, mas faria tudo para que aquelas crianças vivessem.
Foi até o oficial da SS no acampamento e lhe contou o que fizera. Pôs sua mão no braço dele e suplicou. Ele se deu conta que ela o tocara, o que era proibido, e lhe aplicou um soco em pleno rosto, fazendo-a cair.
Ela se levantou, o lábio sangrando e falou: "sou mãe. Perdi meu filho em Auschwitz. Você tem idade para ser avô. Por que há de querer maltratar crianças e bebês?"
"Fique com elas", foi a resposta seca do oficial.
Mas ficar com elas não era suficiente. Era necessário alimentá-las. Nos dias que se seguiram, todas as manhãs, ela ía ao depósito, à cozinha, à padaria, implorando, barganhando e roubando alimentos.
Os meninos ficavam à janela e quando a viam chegar diziam uns aos outros: "lá vem irmã Luba. Ela traz comida pra nós!"
À noite, ela cantava canções de ninar e as abraçava. Era a mãe que lhes faltava. As crianças, que falavam holandês, não entendiam as palavras de Luba, que era polonesa, mas compreendiam seu amor.
Em 15 de abril de 1945, os tanques britânicos entraram no campo, vitoriosos e em seis idiomas passaram a rugir os alto-falantes: "estão livres! Livres!"
Luba conseguira salvar 52 das 54 crianças que adotara como filhos do coração.
Em abril de 1995, 50 anos após a libertação, cerca de 30 homens e mulheres se reuniram na prefeitura de Amsterdã para homenagear aquela mulher.
Recebeu, em nome da rainha Beatriz, a medalha de prata por serviços humanitários.
No entanto, declarou que sua maior recompensa era estar com aqueles seus filhos que, com o apoio de Deus, conseguira salvar da sombra dos campos da morte.
Por isso tudo nunca pensemos que somos muito pequenos para lutar pelas grandes causas ou que estamos sós. Quem batalha pela justiça, tem um insuperável aliado que se chama Deus, nosso Pai.

Fonte:
 "Uma Heroína no Inferno", da revista Seleções do Reader’s Digest, de março de 1999.




quinta-feira, 17 de março de 2011

O NOSSO SOCORRO VEM DO SENHOR


Um jovem cumpriu o seu dever prestando serviço ao exército e era ridicularizado por ser cristão. Um dia, o seu superior a fim de querer humilhá-lo na frente do pelotão lhe pregou uma peça...

- Soldado Coelho, venha até aqui! - Pois não Senhor.
- Segure essa chave. Agora vá até aquele jipe e o estacione ali na frente.

- Mas senhor, o senhor sabe perfeitamente que eu não sei dirigir.
- Soldado Coelho, eu não lhe perguntei nada. Vá até o jipe e faça o que eu lhe ordenei...

- Mas senhor, eu não sei dirigir!
- Então peça ajuda ao seu Deus. Mostre-nos que Ele existe.
O soldado não temendo, pegou a chave das mãos do seu superior e foi até o veículo. Entrou, sentou-se no banco do motorista e imediatamente começou sua oração.
"Senhor, tu sabes que eu não sei dirigir. Guie as minhas mãos e mostre a essas pessoas a sua fidelidade. Eu confio em Ti e sei que podes me ajudar. Amém"
O garoto, manobrou o veículo e estacionou perfeitamente como queria o seu superior.

Ao sair do veículo, viu todo o pelotão chorando e alguns de joelhos...
- O que houve gente? - perguntou o soldado.
- Nós queremos o teu Deus ,Coelho. Como fazemos para tê-lo? - respondeu o superior.

- Basta aceitá-lo como seu Senhor e Salvador. Mas porquê todos decidiram aceitar o meu Deus?
O superior pegou o soldado pela gola da camisa, caminhou com ele até o jipe enxugando suas lágrimas.
Chegando lá, levantou o capô do veículo e o mesmo não tinha nem motor!



domingo, 27 de fevereiro de 2011

A ILHA DOS SENTIMENTOS


Era uma vez uma ilha, onde moravam todos os sentimentos: 
a Alegria, a Tristeza, a Sabedoria e todos os outros
sentimentos. Por fim o amor. Mas, um dia, foi avisado
aos moradores que aquela ilha iria afundar.
Todos os sentimentos apressaram-se para sair da ilha.
Pegaram seus barcos e partiram. Mas o amor ficou, pois
queria ficar mais um pouco com a ilha, antes que ela
afundasse. Quando, por fim, estava quase se afogando,
o Amor começou a pedir ajuda.
Nesse momento estava passando a Riqueza,
em um lindo barco. O Amor disse:
- Riqueza, leve-me com você.

- Não posso. Há muito ouro e prata no meu barco.
Não há lugar para você.
Ele pediu ajuda a Vaidade, que também vinha passando.
- Vaidade, por favor, me ajude.

- Não posso te ajudar, Amor, você esta todo molhado
e poderia estragar meu barco novo.
Então, o amor pediu ajuda a Tristeza.
- Tristeza, leve-me com você.

- Ah! Amor, estou tão triste, que prefiro ir sozinha.

Também passou a Alegria, mas ela estava tão alegre
que nem ouviu o amor chamá-la.
Já desesperado, o Amor começou a chorar.
Foi quando ouviu uma voz chamar:
- Vem Amor, eu levo você!

Era um velhinho. O Amor ficou tão feliz que esqueceu-se
de perguntar o nome do velhinho. Chegando do outro
lado da praia, ele perguntou a Sabedoria.
- Sabedoria, quem era aquele velhinho que me
trouxe aqui?
A Sabedoria respondeu:

- Era o TEMPO.

- O Tempo? Mas porque só o Tempo me trouxe?

- Porque só o Tempo é capaz de entender o "AMOR"."



domingo, 16 de janeiro de 2011

CUIDADO COM A IRA

Um belo dia de sol, Sr. Mário, um velho caminhoneiro
chega em casa todo orgulhoso e chama a sua esposa
para ver o lindo caminhão que comprara
depois de longos e árduos 20 anos de trabalho.
Era o primeiro que conseguia comprar
depois de tantos anos de sufoco e estrada.
A partir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão.
Ao chegar à porta de casa,
encontra seu filhinho de seis anos,
martelando alegremente a lataria do reluzente caminhão.
Irado e aos berros pergunta o que o filho estava fazendo e,
sem hesitar, completamente fora de si,
martela impiedosamente as mãos do garoto,
que se põe a chorar desesperadamente sem entender o que
estava acontecendo.
A mulher do caminhoneiro corre em socorro do filho,
mas pouco pôde fazer.
Chorando junto ao filho,
consegue trazer o marido à realidade,
e juntos levam o garoto ao hospital para cuidar dos
ferimentos provocados.
Passadas várias horas de cirurgia,
o médico desconsolado e bastante abatido,
chama os pais e informa que as dilacerações foram de tão
grande extensão,
que todos os dedos da criança tiveram que ser amputados.
Porém, o menino era forte e resistia bem ao ato cirúrgico,
devendo os pais aguardá-lo no quarto.
Ao acordar, o menino ainda sonolento
esboçou um sorriso e disse ao pai:
-Papai, me desculpe. Eu só queria consertar seu caminhão,
como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.
O pai, enternecido e profundamente arrependido,
deu um forte abraço no filho e disse que aquilo não tinha
mais importância.
Não estava bravo e sim arrependido de ter sido tão duro com ele
e que a lataria do caminhão não tinha estragado.
Então o garoto com os olhos radiantes perguntou:
- Quer dizer que não está mais bravo comigo?
- É claro que não! – respondeu o pai.
Ao que o menino pergunta:
- Se estou perdoado papai, quando meus dedinhos vão
nascer de novo?
Nos momentos de raiva cega, machucamos as pessoas que
mais amamos,
e muitas vezes não podemos “sarar” a ferida que deixamos.
Nos momentos de raiva, tente parar e pensar em suas atitudes,
a fim de evitar que os danos seja irreversíveis.
Não há nada pior que o arrependimento e a culpa.


Pense nisto!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A ORIGEM DO NATAL

Photobucket

A origem do Natal é belamente apresentada na narrativa bíblica
bem conhecida do Evangelho de Lucas: "Naqueles dias César
Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de
todo o império romano. Este foi o primeiro recenseamento
feito quando Quirino era governador da Síria. E todos iam para
a sua cidade natal, a fim de alistar-se. Assim, José também foi
da cidade de Nazaré da Galileia para a Judeia, para Belém,
cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi.
Ele foi a fim de alistar-se, com Maria, que lhe estava prometida
em casamento e esperava um filho. Enquanto estavam lá,
chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu
primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa
manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.
Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a
noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um
anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu
ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse:
"Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande
alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi,
lhes nasceu o Salvador, que é Cristo o Senhor" (Lucas 2:1-11).

A Origem do Natal – As Tradições e as Controvérsias

Para os cristãos de hoje, a origem do Natal é, e deveria ser,
o nascimento de Jesus Cristo como registrado na Bíblia.
Nada mais, nada menos. No entanto, muito do que vemos
no dia 25 de dezembro a cada ano não tem nada a ver com o
bendito dia em que Jesus nasceu, o qual provavelmente
ocorreu entre julho e outubro cerca de 2.000 anos atrás.
De fato, a maior parte dos costumes e tradições do Natal são
de antes do nascimento de Jesus, e muitos deles são
francamente enganadores em seu significado e origem.
Aqui estão alguns exemplos:



A data 25 de dezembro provavelmente originou com o antigo
"aniversário" do deus-filho, Mithra, uma divindade pagã
religiosa cuja influência se espalhou no Império Romano
durante os primeiros séculos depois de Cristo. Mithra era
relacionado com o deus-sol semita, Shamash, e seu culto se
espalhou por toda a Ásia e Europa, onde era chamado Deus
Sol Invictus mitra. Roma era bem conhecida por absorver as
religiões e rituais pagãs do seu império tão amplo. Como tal,
Roma converteu este legado pagã a uma celebração do deus
Saturno e do renascimento do deus-sol durante o período de
inverno solstício. O feriado de inverno se tornou conhecido
como Saturnália e começava na semana anterior a 25 de
dezembro. O festival tinha as seguintes características:
presentes, festejos, cânticos e proposital devassidão, com os
sacerdotes de Saturno transportando grinaldas verdes em
procissão ao longo de todo o templo romano.

Variações deste feriado pagão floresceram durante os
primeiros séculos depois de Jesus Cristo, mas provavelmente
não foi até 336 D.C. que o Imperador Constantino oficialmente
converteu esta tradição pagã nas festas "Cristãs" natalinas.

A Origem do Natal – O que realmente importa?

A verdadeira origem do Natal é cheia de controvérsias e
transigências. Um rápido estudo irá revelar uma série de raízes
perturbadoras que não fomos capazes de mencionar neste
breve artigo. Em resumo, o Natal que celebramos hoje é
indicativo da disposição do cristianismo de absorver os
costumes e tradições do mundo, e esquecer as suas simples
raízes na realidade histórica de Jesus Cristo. O Natal deve ser
nada mais do que um simples, mas maravilhoso lembrete do
início humilde de Cristo como uma criança humana neste mundo.
Seu nascimento apenas define o cenário para o poder, a glória
e a salvação que seriam revelados em Sua vida, morte e
ressurreição! Quer se trate de 25 de dezembro, de uma data no
final de setembro, ou em qualquer outro dia do ano, devemos
usar toda e qualquer oportunidade para refletir sobre
Jesus Cristo e Sua mensagem de esperança para todos nós.
Fonte: http://www.allaboutjesuschrist.org/portuguese/



sábado, 13 de novembro de 2010

CAVALO TEIMOSO


Uma vez um cavalo caiu num velho poço
abandonado.
O resgate seria muito caro. então,
o fazendeiro ordenou que aterrassem o
poço com o animal lá dentro.
Mas, à medida que as pazadas de terra
caiam no seu dorso, ele se sacudia todo
e a terra ia pra debaixo dele.
Assim aos poucos, ele foi subindo junto
com a terra, até uma altura em que pode
ser retirado de lá com uma certa facilidade.
O dono havia decidido que o cavalo iria
morrer, mas, o animal era determinado
e não concordou com o fazendeiro.
Os que esperam no Senhor
renovarão as suas forças;
subirão com asas como águias;
correrão, e não se cansarão;
andarão, e não se fatigarão.
Isaías 40.31




terça-feira, 9 de novembro de 2010

A LOJA DE DEUS


Entrei e vi um anjo no balcão.
Maravilhado , disse-lhe:
- Santo Anjo do SENHOR, o que vendes ?
- Todos os Dons de DEUS.
- Custa muito ?
- Não, é tudo de graça.
Contemplei a loja e vi jarros com sabedoria, vidros com fé,
Pacotes com esperança, caixinhas com salvação, potes de amor.
Tomei coragem e pedi:
Por favor, Santo Anjo, quero muito amor.
Todo perdão, um vidro de fé e salvação eterna para mim
e minha família também.
Então, o Anjo do SENHOR preparou-me um pequeno embrulho,
Tão pequeno que mal cabia na palma da minha mão.
Maravilhado, mais uma vez disse-lhe:
- É possivel estar tudo aqui ?
O Anjo respondeu-me sorrindo:
Meu querido irmão, na Loja de DEUS não vendemos frutos,
Apenas damos as sementes.
Só depende de você, para que elas possam crescer ou não.
Pastora Ademilde

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A REFORMA PROTESTANTE E A CONTRA REFORMA

Durante a Idade Média, o poder da Igreja era tão grande que sua autoridade era quase inquetionável, mesmo assim já haviam aqueles que ousavam discordar dos seus ensinamentos e da sua prática. Essas pessoas eram consideradas hereges, ou seja, transgressoras da doutrina e dos dogmas católicos, sendo por isso perseguidas pela Igreja.


No século XV, o fortalecimento da burguesia e o interesse dos reis em ampliar seu poder, foram decisivos para fortalecer a crítica à Igreja Católica e provovar sua divisão.
O início de tudo

Em 1517 o papa Leão X decretou a venda de indulgências (documentos que assegurariam o perdão dos pecados de uma pessoa, em troca de uma quantia em dinheiro).

Na Saxônia (atual Alemanha), o monge Martinho Lutero revoltou-se com o decreto do papa e, como resposta, pregou na porta da catedral de Wittenberg um documento com 95 pontos contrários aos ensinamentos e às práticas da Igreja Católica.

Em 1520, Lutero foi declarado herege e excomungado da Igreja, pois recusou-se a voltar atrás na defesa de suas idéias. Apoiado por príncipes alemães, Martinho Lutero continuou difundindo sua doutrina iniciando, assim, a Reforma Protestante.
A doutrina da Reforma


A doutrina luterana tinha três pontos principais:


*Justificação pela fé - a pessoa é salva por meio da fé e nao pelas obras que pratica;

*Sacerdócio universla - todos os crentes podem interpretar os textos sagrados por si mesmos;

*Negação da infalibilidade da Igreja - a única fonte da verdade é a Bíblia, e não a tradição ensinada pela Igreja.
Outros movimentos reformadores

A Reforma Luterana abriu caminho a novos movimentos reformadores, como o calvinismo e o anglicanismo.
O francês João Clavino, defensor da reforma de Lutero, entrou em contato, na Suiça, com outras idéias protestantes, que o ajudaram a formar uma nova doutrina, o calvinismo. Calvino manteve quase todos os princípios luteranos, mas estabeleceu uma diferenciação radical do luteranismo ao criar a idéia de predestinação absoluta.
O movimento reformador na Inglaterra teve origem essencialmente plítica, pois o rei Henrique VIII, da dinastia Tudor, queria divorciar-se de sua esposa Catarina de Aragão (filha dos reis católicos da Espanha), porque ela não conseguia lhe dar filhos homens. O papa não concedeu o divórcio. Diante disso, em 1531, Henrique VIII rompeu com a Igreja de Roma. Três anos depois (1534), o Parlamento inglês aprovou o Ato de Supremacia, que proclamou o rei o único e supremo chefe da Igreja inglesa, a igreja Anglicana. Henrique VIII pode, então, nomear bispos e desapropriar terras da Igreja Católica e distribuí-las entre os nobres ingleses.
A Contra-Reforma

A Contra-Reforma, ou Reforma Católica, surgiu no interior da Igreja Católica com dupla finalidade: conter o avanço do protestantismo e discutir as críticas internas da própria Igreja.

A Igreja tomou medidas para reorganizar sua estrutura interna. Entre 1534 e 1590 as finanças foram reorganizadas, exigiu-se o preenchimento dos cargos da Igreja por padres destacados pela integridade moral e adotou-se uma plítica intolerante com os padres de conduta duvidosa.
Detalhe da obra de François Dubois, do século XVI, A noite de São Bartolomeu.

Entre 1545 e 1563, os cardeais católicos, sob a direção do papa, reuniram-se na cidade de Trento, na Itália, para discutir as reformas.


O Concílio reafirmou a doutrina católica e a organização da Igreja. Negou as mudanças doutrinárias realizadas pelos reformistas, confirmando os sete sacramentos, o culto à Virgem Maria e aos santos. Enfim, confirmou que as fontes da doutrina católica são as tradições e a Bíblia.

O Concílio de Trento acabou reafirmando a divisão da comunidade cristã, iniciando uma acirrada disputa entre católicos e protestantes em busca de adeptos.
A Igreja utilizou vários meios para conter o protestantismo e alcançar novos fiéis, tais como:
- expandir a fé católica além da Europa (evangelização dos povos da América, empreendida pela ordem dos jesuítas);

- reativação do Tribunal do Santo Ofício (ou Inquisição, que agia como guardiã da fé católica, punindo os suspeitos de agir de forma condenável pela Igreja);

- Criação dos ìndices Proibidos - O Index (lista de livros censurados pela Igreja, considerados prejudiciais à fé católica);

- Publicação do catecismo (resumo da doutrina católica).
Esses instrumentos foram eficientes, principalmente nos países da Península Ibérica, onde a Reforma Católica teve o apoio dos reis católicos da Espanha e de Portugal.
A divisão da Europa

Em meados do século XVI, os cristãos europeus estavam divididos em várias igrejas. Dentro de cada país as pessoas eram obrigadas a seguir a religião do rei. Por exemplo, nas regiões da Alemanha onde o luteranismo havia sido adotado, os católicos foram perseguidos. Na Espanha, a Inquisição perseguiu protestantes, judeus, cristãos-novos (filho ou neto de judeus convertido ao cristianismo) e muçulmanos.

Do vasto domínio da Igreja de Roma na Europa, restaram apenas Península Itálica, Espanha, Portugal, Áustria, França, Polônia, sul da Alemanha e Irlanda. Mesmo assim, nesses países, os protestantes tinham muitos adeptos.
Católicos X calvinistas na França


Foi na França que a divisão entre católicos e protestantes se manifestou de forma mais violenta. A divisão mais acirrada opunha os católicos aos calvinistas, chamados na França de huguenotes.

No reinado de Carlos IX as tensões se agravaram. O momento mais grave ocorreu em 24 de agosto de 1572, na chamada Noite de São Bartolomeu, quando cerca de 3 mil huguenotes foram massacrados em Paris a mando da mãe do rei, a católica Catarina de Médicis.
Na França, milhares de pessoas morreram numa onda de guerras religiosas que foi desencadeada por essa noite. O conflito só terminou com a promulgação do Edito de Nantes, em 1598, que concedeu liberdade de culto no país.
Fonte: http://vemfazerhistoria.blogspot.com/

HALLOWEEN

No dia 31 de outubro muitas pessoas irão participar de festas de "halloween", popularmente chamado de "Dia das Bruxas" no Brasil. Mas essa festa aparentemente inocente tem estreita ligação com práticas ocultistas, mesmo que muitos não percebam isso.
Sua origem data de tempos antigos, quando os druidas (magos de origem celta) realizavam cerimônias de adoração ao "deus da morte" ou ao"senhor da morte" em 31 de outubro. Isso acontecia na cerimônia "Samhain" durante o festival de inverno, na qual eram oferecidos sacrifícios humanos. Essa prática ancestral foi sofrendo alterações com o passar do tempo. A Igreja Católica posteriormente tentou cristianizar o "Samhain ", declarando o1º de novembro como o Dia de Todos os Santos e o 2 de novembro com o Dia de Finados, sendo que em ambas as datas os mortos eram lembrados.
Nos Estados Unidos essa festa é muito comum e tem forte apelo comercial, sendo também tema de vários filmes de horror. A imagem de crianças vestidas com fantasias "engraçadinhas" de bruxas, fantasmas e duendes, pedindo por doces e dizendo "gostosuras ou travessuras". Há algum tempo, o Brasil tem se deixado influenciar por muitos aspectos que não fazem parte de sua cultura e tem celebrado essa festa em escolas, clubes e até em shopping centers.
Diante dessa realidade, devemos nos questionar: halloween está relacionado às práticas ocultistas modernas?
Mesmo que hoje em dia halloween seja comemorado de uma maneira inocente por muitos jovens, ele é levado a sério pela maioria das bruxas, membros do movimento neo-pagão e ocultistas em geral. Antes de continuarmos, devemos destacar que a associação histórica e contemporânea do halloween com o ocultismo causaram uma espécie de "efeito híbrido" na maior parte da sociedade, de modo que a comemoração do halloween não é, necessariamente, uma prática totalmente inocente. Ao ler vários relatos sobre o halloween, pode-se ficar impressionado com o grande número de práticas de superstições e de adivinhação envolvidas com ele. Algumas das superstições e todas as práticas estão relacionadas com o ocultismo.
É preocupante o quanto as superstições podem controlar ou dirigir a vida de uma pessoa de maneiras terríveis. Mais ainda, as verdadeiras práticas de adivinhação sempre trazem conseqüências. Na verdade, desde as décadas finais do século dezenove, o halloween tem sido lembrado como um período "para se usar amuletos, lançar maldições e se fazer adivinhações"[1]. Como já dissemos, isso está relacionado aos antigos druidas, pois o "Samhain" marcava o início de ano novo, o que resultou num interesse em adivinhações e previsões sobre o que o próximo ano traria.

No halloween se cria (e ainda á assim em certos lugares) que seguir um ritual em particular pode fazer com que a imagem do seu futuro cônjuge apareça atrás de você: "Muitas crenças surgiram sobre como invocar a imagem do futuro esposo ou esposa de alguém. As garotas criam que caso alguém ficasse diante do espelho, comendo uma maçã, à meia-noite, a imagem de seu futuro esposo apareceria de repente diante dela. Se nenhuma imagem aparecesse, isso significava que a garota ficaria solteirona".[2]
              
No sul dos Estados Unidos há um costume baseado na crença dos druidas de que o desespero de uma vítima de sacrifício humano podia revelar previsões para o futuro. "Punha-se fogo numa tigela com álcool, e atirava-se no fogo ‘oferendas’ tais como figos, cascas de laranja, passas, castanhas e tâmaras envoltas em papel alumínio. A garota que tirasse a melhor das oferendas do meio do fogo iria conhecer seu futuro esposo dentro de um ano".[3]
A preocupação com tais atividades pode ser vista na seguinte declaração do Livro Americano dos Dias (American Book of Days): "Vários meios de adivinhação do futuro eram usados no halloween e os resultados eram aceitos com toda seriedade"[4]. Em outras palavras, quando estamos lidando com tentativas sérias de adivinhar o futuro – seja em relação ao futuro em geral, ao futuro cônjuge, ou sobre a vida e a morte - as conseqüências na vida das pessoas podem ser muito maiores do que simples brincadeiras.
Hoje em dia outras práticas ocultistas estão presentes no halloween. Em New Orleans o "Museu do Vodu apresenta normalmente um ritual de halloween no qual as pessoas podem ver rituais de vodu reais"[5]. Na cidade de Salem, estado de Massachusetts, um festival de halloween acontece de 13 a 31 de outubro incluindo uma mostra de parapsicologia.[6]
Na bruxaria moderna o halloween também é considerado uma noite especial. Um livro conhecido sobre o movimento neo-pagão relata o seguinte sobre esses dias importantes de celebração da bruxaria: "As grandes cerimônias de sabbat são: o ‘Samhain’ (halloween), o Ano-Novo celta (nesses dias acredita-se que os portais entre os mundos estão enfraquecidos, e então ocorrem contatos com os ancestrais), ‘Oimelc’ (1º de fevereiro, festival da purificação de inverno)... ‘Beltane’ (1º de maio, o grande festival da fertilidade)... diferentes linhas da bruxaria... tratam esses festivais de maneiras diversas. Mas quase todas as linhas celebram pelo menos o ‘Semhain’ e o ‘Beltane’"[7]. Algumas bruxas tiram o dia de folga de seu trabalho para comemorarem essa data especial para elas, enquanto outras chegaram a tentar o fechamento das escolas para a comemoração desse grande sabbat.
Muitos grupos satânicos também consideram o halloween uma noite especial, em parte porque ele "tornou-se o único dia do ano em que se acredita que o diabo possa ser invocado para revelar os futuros casamentos, problemas de saúde, morte, colheitas e o que acontecerá no próximo ano"[8]. Na verdade a bruxaria e o satanismo têm certas semelhanças[9]. Mesmo que sejam coisas distintas, e mesmo que se dê legitimidade às declarações do movimento neo-pagão que desdenha o satanismo, devemos lembrar o claro ensino bíblico de que o diabo é a fonte de poder por trás da bruxaria e de todas as formas de ocultismo[10]. A ex-bruxa Doreen Irvine declara: "a bruxaria negra não está distante do satanismo... Praticantes da bruxaria negra têm um grande poder e não devem ser subestimados... Eles podem até exumar covas recentes e oferecer os corpos em sacrifício à Satanás".[11]

Além disso tudo, o costume de pedir balas e doces fantasiados de bruxas, vampiros, fantasmas, etc., que é comum nessa festa, está relacionado com os espíritos dos mortos na tradição pagã e até católica. Por exemplo, para os antigos druidas "os espíritos que se acreditava andarem de casa em casa eram recepcionados com uma mesa farta para um banquete. No final da refeição, os habitantes da cidade fantasiados e com máscaras representando as almas dos mortos iam em procissão até os limites da cidade para guiar os fantasmas para fora".[12] As máscaras e fantasias usadas no halloween podem ser relacionadas também com a tentativa de certas pessoas de se esconderem para não serem vistas participando de cerimônias pagãs ou ,como no xamanismo e em outras formas de animismo, mudar a identidade de quem as usa para que possa se comunicar com o mundo espiritual. As fantasias podem ser usadas também para afugentar espíritos maus.
Depois de fazermos essas considerações sobre o assunto, tendo em vista que o halloween está associado a práticas de bruxaria e ocultismo, devemos analisar qual deve ser nossa atitude em relação a essa festa, que mesmo sendo vista secularmente como um passatempo tem implicações sérias.

Devemos nos perguntar: Que princípios bíblicos devem ser usados para discernir esse assunto?
As Escrituras nos dizem que o homem espiritual julga todas as coisas e que no futuro irá também julgar os anjos. Então somos competentes o suficiente para julgar assuntos triviais agora (1 Coríntios 2,15; 6.3). Se julgarmos todas as coisas e retermos o que é bom, abstendo-nos de toda forma de mal, estaremos cumprindo com nossa obrigação (1 Tessalonicenses 5.21,22). Então vamos examinar esse assunto para chegarmos a uma posição bíblica sobre o halloween.
Se na celebração de halloween existem atividades envolvendo práticas genuinamente ocultistas, as Escrituras são claras em afirmar que devem ser evitadas. Tanto o Antigo como o Novo Testamento fazem referência às práticas de bruxaria, encantamentos, espiritismo, contatos com os mortos, adivinhações e assim por diante – e todas essas coisas estão potencialmente ligadas ao halloween.


"Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus" (Levítico 19.31).
"Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; ... Porque estas nações que hás de possuir ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR, teu Deus, não permitiu tal coisa" (Deuteronômio 18.10,11,14) .
"[Rei Manassés de Judá] queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira" (2 Crônicas 33.6).
Em nenhum lugar na Bíblia vemos essas coisas como sendo aceitáveis diante de Deus. À luz desses versículos, ninguém pode argumentar logicamente que a Bíblia apóia tais práticas.
John Ankerberg e John Weldon
Fonte: http://www.chamada.com.br/

                                            
                                                         

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

FELIZ "DIA DAS CRIANÇAS"!

O Dia das Crianças no Brasil foi "inventado" por um político.
O deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia
em homenagem às crianças na década de 1920.
Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho
teve a idéia de "criar" o dia das crianças.
Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado
como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes,
por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.
Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela
fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para
lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas,
é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo,
pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!
Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança,
para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos
decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram
ressurgir o antigo decreto.
A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data
importante para o setor de brinquedos.

Em outros países
Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas
diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada
em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração
acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças
da China e do Japão comemorarem!

Dia Universal da Criança
Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro,
já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse
dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também
é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças.
Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança
deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento.
Fonte Mensagens e Poemas

terça-feira, 5 de outubro de 2010

O LENHADOR E A RAPOSA

Existiu um Lenhador que acordava as 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro
cortando lenha, e só parava tarde da noite.
Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa,
sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.
Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho.

Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.
Os vizinhos do Lenhador alertavam que a raposa era um bicho,
um animal selvagem; e portando, não era confiável.
Quando ela sentisse fome comeria a criança.

O Lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso
era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.
Os vizinhos insistiam:
- "Lenhador abra os olhos ! A Raposa vai comer seu filho."

- "Quando sentir fome, comerá seu filho ! "

Um dia o Lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado
desses comentários - ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como
sempre e sua boca totalmente ensangüentada ... o Lenhador suou frio
e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa ...
Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta ...

O Lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos.



quarta-feira, 15 de setembro de 2010

SER FELIZ OU TER RAZÃO?


Oito da noite, numa avenida movimentada.
O casal já está atrasado para jantar na casa
de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou
no mapa antes de sair. Ele conduz o carro.
Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua,
à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita.
Discutem. Percebendo que além de atrasados,
poderiam ficar mal-humorados,
ela deixa que ele decida. Ele vira à direita
e percebe, então, que estava errado.
Embora com dificuldade, admite que insistiu
no caminho errado, enquanto faz o retorno.
Ela sorri e diz que não há nenhum problema
se chegarem alguns minutos atrasados.
Mas ele ainda quer saber:
- Se tinhas tanta certeza de que eu
estava indo pelo caminho errado,
devias ter insistido um pouco mais...
E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.
Estávamos à beira de uma discussão,
se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

MORAL DA HISTÓRIA:

Esta pequena história foi contada por uma
empresária, durante uma palestra
sobre simplicidade no mundo do trabalho.
Ela usou a cena para ilustrar quanta energia
nós gastamos apenas para demonstrar
que temos razão, independentemente,
de tê-la ou não.
Desde que ouvi esta história, tenho me
perguntado com mais freqüência:
'Quero ser feliz ou ter razão?'
Outro pensamento parecido, diz o seguinte:
'Nunca se justifique. Os amigos não precisam
e os inimigos não acreditam.